O primeiro-ministro esteve esta manhã em Azambuja, onde foi conhecer a Biosurfit, start-up que se dedica ao desenvolvimento de equipamentos médicos.

Um exemplo é o ‘Spinit’, um aparelho que permite realizar testes de diagnóstico na hora, e que será implementado em 21 centros de saúde em todo o país, como anunciou António Costa durante a visita, onde se fez acompanhar por Luís de Sousa, presidente da Câmara Municipal, Pedro Siza Vieira, Ministro da Economia, e ainda por João Garcia da Fonseca, responsável máximo da Biosurfit, em funcionamento há cerca de um ano e meio.

Este sistema “inovador” permite, através de uma gota de sangue, realizar testes de hematologia em pouco menos de uma hora, e foi implementado pela Biosurfit em alguns países europeus, chegando agora ao mercado nacional, após vencer um concurso.

Para o primeiro-ministro, a Biosurfit, é “um excelente exemplo”, sendo “uma demonstração de que as empresas não precisam de estar todas em Lisboa”, para ter indústrias de “alto padrão tecnológico” e de “alta qualidade”. António Costa destacou ainda a empresa como “algo que tem utilidade para nós [os cidadãos] e para os sistemas de saúde”.

Esta empresa recebeu, em 2018, um fundo de investimento de 10 milhões de euros, cinco provenientes de fundos estatais (mais concretamente do Fundo 200M, criado pelo Governo para promover o coinvestimento em start-ups e pequenas empresas nacionais), e cinco da empresa sueca Boule Diagnostics.

Fonte e Imagem: Lusa