RTP acaba com touradas

Azambuja, 28 Julho 2017.
Tourada
A RTP que transmitiu recentemente uma corrida de touros que até terá aumentou a sua audiência, vai deixar de o fazer a partir de Outubro. A PróToiro considera esse aumento a confirmação do sucesso televisivo das touradas, ao passo que a Plataforma Basta (antitaurinos) duvida dos resultados, avança o Diário de Notícias. Para os antitaurinos se as “corridas” dessem audiências, então os três canais abertos não teriam reduzido ou mesmo deixado de transmitir.
De qualquer forma, está decidido.

Santa Casa da Misericórdia de Azambuja vai inaugurar novo “Abrigo do Peregrino”

10 julho 2017

Abrigo do Peregrino, em Azambuja
Abrigo do Peregrino, em Azambuja

Hoje, dia 10 de julho, pelas 16h00, a Santa Casa da Misericórdia de Azambuja irá inaugurar o novo espaço “Abrigo do Peregrino”, em Azambuja.
O abrigo permite acolher as centenas de peregrinos que, anualmente, passam por Azambuja a caminho de Santiago de Compostela e faz parte do acordo com a Associação Portuguesa dos Amigos do Apóstolo Santiago, que foi interrompido há cerca de um ano por degradação do espaço anterior. O actual “Abrigo do Peregrino” situa-se no complexo da Igreja da Misericórdia, na Rua Espírito Santo, nº 1, na vila de Azambuja.
O novo espaço irá, assim, apoiar os peregrinos como local de pernoita, em articulação com os demais albergues existentes no Caminho Português de Santiago. A reformulação deste espaço é da responsabilidade da Santa Casa da Misericórdia que contou com o apoio da Câmara Municipal de Azambuja.
TH 2017

Paulo Ferreira no DN

Hoje, o grande destaque de 1a página do Diário de notícias é Paulo Ferreira.

“Jovem cavaleiro tauromáquico fez carreira na Califórnia, é responsável por uma coudelaria e fala sobre como conciliar o sucesso na América com a saudade de casa.

paulojorgeferreira
Antes de mais, um esclarecimento. Não leu mal. Esta reportagem é sobre a carreira de um jovem cavaleiro tauromáquico português na Califórnia. Sim, há touradas na Califórnia. Corridas de touros à portuguesa, organizadas por portugueses, com tudo aquilo a que têm direito, lide a cavalo e pegas, cavaleiros e forcados, mas com uma diferença fundamental – não há sangue na arena. Chamam-lhe bloodless bullfight, existem desde os anos 1970/1980, e esse foi um dos truques da comunidade portuguesa na costa oeste dos Estados Unidos para manter uma parte importante das suas tradições. O outro truque, ou neste caso uma imposição do legislador, obriga a que as touradas nunca aconteçam como espetáculos isolados, mas antes como parte de um qualquer evento religioso.
Mas como é que não há sangue na arena? A palavra-chave é: velcro. O sistema de fixação inventado por um engenheiro suíço no final dos anos 1940 foi a solução para contornar a legislação, rígida, e o lóbi de defesa dos direitos dos animais, muito ativo na Califórnia. Cola-se um grande quadrado de velcro ao cachaço do touro, e nos ferros substitui-se as pontas por um outro pedaço de velcro. Resulta. A emoção e a coreografia mantêm-se e no final podem sempre dizer: “Nenhum animal foi ferido durante o espetáculo.”
Paulo Jorge Ferreira nasceu há 34 anos em Vila Franca de Xira, mas cresceu uns quilómetros mais a norte, na Azambuja. É território da festa brava e a paixão pelas touradas, sobretudo pelos cavalos, apareceu cedo. “Montei a cavalo, pela primeira vez, com os campinos. Os meus pais tinham um restaurante na Azambuja e muitas vezes os campinos passavam lá para tomar algo e, como sabiam que adorava touros e cavalos, muitas vezes levavam-me à garupa para os ir ver a trabalhar com o gado. Mais tarde, os meus pais compraram-me uma égua, e foi aí que o gosto se intensificou mais.”

DN JUN 2017

UCSP de Azambuja celebra Dia Mundial do Médico de Família

18 Maio 2017

Dia Mundial do Médico de Família
Dia Mundial do Médico de Família

Comemora-se amanhã, 19 de Maio, o Dia Mundial do Médico de Família. Para assinalar a data, o centro de saúde de Azambuja organizou, em parceria com a Câmara Municipal, uma série de atividades relacionadas com os temas “Vencer o Sedentarismo” e “Adeus à Depressão”. Os utentes podem participar em workshops, aulas de zumba e pilates, e rastreios. As atividades decorrem nas instalações da UCSP de Azambuja, entre as 09h00 e as 13h00, e são abertas à população.
TH 2017

Azambuja pede um milhão pelo fecho da Opel

1 Maio 2017

Instalações da fábrica da Opel - Azambuja
Instalações da fábrica da Opel – Azambuja

A Câmara Municipal de Azambuja interpôs uma ação judicial contra o Estado para reivindicar o pagamento de cerca de um milhão de euros devidos à autarquia no âmbito do encerramento da fábrica da Opel.
Em 2008, a GMP pagou uma indemnização de 17,702 milhões de euros ao Estado português como compensação pelo encerramento da fábrica da Opel de Azambuja, uma vez que não cumpriu o contrato que tinha estabelecido de se manter em Portugal pelo menos até 2008. Dessa verba que o Estado recebeu da GMP ficou estabelecido que 908 mil euros seriam transferidos para as contas da autarquia, montante referente à isenção de impostos municipais de que a Opel beneficiou entre 1996 e 2006. No entanto, a Câmara Municipal ainda não recebeu a sua parte.
A fábrica da General Motors Portugal (GMP) — multinacional que detém, entre outras marcas, a Opel – fechou a 21 de dezembro de 2006, deixando 1.100 pessoas no desemprego.
TH 2017