Proteção Civil alerta para o prolongamento do período crítico de incêndios

2 novembro 2017

Recomendações período crítico de incêndios
Recomendações período crítico de incêndios

Foi prorrogado até 15 de novembro o período crítico no âmbito do
Sistema de Defesa da Floresta contra Incêndios, para o presente ano, por força das circunstâncias meteorológicas excecionais. Desta forma, a Proteção Civil Municipal alerta para o prolongamento do período crítico de incêndios e para a consequente proibição de realização de queimas e queimadas, fumar em espaços florestais ou lançar foguetes até à referida data. Os incumpridores estão sujeitos a coimas que podem ir até aos 60 mil euros.
TH 2017

Rancho de Vila Nova da Rainha organiza Festival de Folclore

1 novembro 2017

Cartaz "Festival de Folclore" - Vila Nova da Rainha
Cartaz “Festival de Folclore” – Vila Nova da Rainha

O Rancho Folclórico de Vila Nova da Rainha, freguesia do concelho de Azambuja, vai realizar o seu habitual festival de folclore. A edição de 2017 acontece no dia 4 de novembro, sábado, na sede do grupo.
A festa começará ao final da manhã, com a receção dos grupos participantes. O público está convidado para acompanhar o desfile dos dançarinos, cantadores e tocadores pelas principais ruas da localidade a partir das 15h00. Meia hora depois terão início as atuações dos ranchos convidados. Irão atuar o Rancho Folclórico da Associação Recreativa Flor de Fanzeres (Gondomar); o Rancho Folclórico de Vila Nova de Mil Fontes; o Rancho Folclórico Flores de Monfirre (Mafra); Rancho Folclórico Esperança na Juventude (Nadadouro – Caldas da Rainha); Rancho Folclórico do Bairro da Fraternidade (S. João da Talha – Loures) e, claro, o rancho “da casa” partilhará com todos o folclore típico de Vila Nova da Rainha.
Este evento conta com o apoio do Município de Azambuja e da Junta de Freguesia de Vila Nova da Rainha.
TH 2017

Aqui está a edição de Outubro de 2017

EDITORIAL
Bem-vindos a mais uma edição do Correio de Azambuja:
Depois de um tempo dedicado às eleições autárquicas, está retomada a actividade política e a gestão dos interesses de proximidade.
O Correio de Azambuja, acompanhou de perto as tomadas de posse das freguesias do concelho e aqui estão as fotos.
Depois de alguma concorrência, de alguma troca de “galhardetes”, a tendência é para uma calmaria que se espera seja em proveito dos fregueses de todas as freguesias.
Há quem diga que as eleições são um tempo positivo na vida do concelho porque, as obras e as realizações são manifestamente mais visíveis nos últimos meses dos mandatos.
Em Azambuja,foram as piscinas e os campos de ténis, em Aveiras de Cima, foi o jardim Infantil público da freguesia,foram os equipamentos de manutenção em Vale do Paraíso, ou o alcatrão que veio refazer estradas degradadas, estes são os exemplos que, em final de mandato todos querem deixar boa imagem.
No dia 1 de Outubro, em Azambuja, a abstenção foi menor, tal como no resto do país e os votos foram maioritariamente para o Partido Socialistas que aumentou a sua vantagem, estando agora com uma confortável maioria absoluta. E mais, reconquistou a junta de freguesia de Aveiras de Baixo.
Em Aveiras de Cima e na União de Freguesias, a CDU, continua a ser a força que lidera, contrastando com os lugares para a câmara em que perdeu votação e um vereador.
Mas o que se seguiu, depressa fez esquecer a festa. Um Verão que parece não ter fim, fez despertar o flagelo do fogo, E Portugal ardeu. Outra vez.
“Nuestros hermanos”, não têm vergonha em assumir que há mão criminosa. que há gente mal formada e ignorante que começou a fazer queimadas nesse fim de semana. Lamentável.
Tão lamentável como o número de mortos que esta tragédia fez aumentar.
Ainda não estamos a salvo, mas só se espera que cada um de nós possa ser um vigilante da floresta.e que, em caso de suspeita de fogo posto, avise as autoridades. Passa a ser um dever cívico.
Esperemos que a chuva volte depressa e apague as feridas que ainda estão bem vivas na memória de tantas famílias

Posto isto, vamos então desejar-lhe um mês excelente,

boas leituras
Paulo Ferreira de Melo
( se não encontrar num comerciante perto de si, experimente aqui https://issuu.com/correiodeazambuja/docs/correio_de_azambuja_out2017

Correio de Azambuja edição de Outubro de 2017
Correio de Azambuja edição de Outubro de 2017

“Estrada do Campo” com trânsito interdito

17 outubro 2017

Estrada do Esteiro - Azambuja
Estrada do Esteiro – Azambuja

Já tiveram início os trabalhos na EN 3-1 relativos à empreitada “EN 3-1 Estabilização de Aterro e Plataforma Rodoviária”. As obras que ali se realizam implicam o corte total da circulação automóvel na via. A intervenção decorre na estrada paralela à Vala do Esteiro (vulgarmente conhecida como “Estrada do Campo”) entre o km 1,100 e o km 1,300. Esta obra é da responsabilidade da Infraestruturas de Portugal S.A. que anuncia a conclusão da mesma para 26 de dezembro de 2017.
TH 2017

Rádio Ribatejo renova-se

09 Outubro 2017.
A rádio Ribatejo, emissora do concelho de Azambuja, acaba de iniciar um processo de renovação e remodelação técnica e sonora.
O seu novo responsável é Ricardo Pereira, (na foto) que está a orientar todas as operações para que a estação fique apetrechada com equipamentos de nova geração.
Serão efectuadas ainda alterações na vertente musical, das quais daremos conta na próxima edição do Correio de Azambuja.
A nova equipa vai render o antigo repórter da TVI e da Media Capital, Paulo Ferreira de Melo, que durante os últimos 20 anos esteve à frente da estação emissora e que agora se vai dedicar exclusivamente à edição do Correio de Azambuja.

Ricardo Pereira, novo responsável Ribatejofm.
Ricardo Pereira, novo responsável Ribatejofm.

Bombeiros de Azambuja, oferecem ambulância

Bombeiros solidários
Bombeiros solidários

Os Bombeiros Voluntários de Azambuja decidiram ofertar uma ambulância ao Serviço Nacional de Protecção Civil e Bombeiros da República Democrática de S. Tomé e Príncipe, com o objectivo de reforçar a prontidão do socorro na ilha de S.Tomé.
Este gesto foi consequência de uma proposta feita pelo tesoureiro da Direcção, Eng.º José Armando Fernandes, depois de este se ter confrontado com as enormes dificuldades que a este nível e não só, a República Democrática de S. Tomé e Príncipe, enfrenta.