Municípios contra Privatização da ValorSul

 

 

 

 

 

 

Os 14 municípios da Grande Lisboa e do Oeste servidos pela Valorsul, aos quais Azambuja está associado, voltam a informar as suas populações dos argumentos que os têm levado a oporem-se, de forma coesa e veemente, ao processo de privatização da empresa iniciado pelo Governo.

As autarquias envolvidas consideram que não existe razão nenhuma que justifique esta decisão do governo e que a gestão dos resíduos é um serviço essencial, que deve permanecer público e tendo como principal objectivo a defesa do interesse colectivo. Tanto mais que a Valorsul é uma empresa bem gerida, de comprovada eficácia e eficiência e com um bom desempenho ambiental e financeiro.

Por estes factos, as autarquias consideram que o governo está, assim, cada vez mais isolado nesta decisão, e que é consensual na sociedade portuguesa que esta venda é negativa para o País, tendo inclusive a Autoridade da Concorrência apontado “sérias dúvidas” relativamente a este processo, o que a levou mesmo a abrir uma “investigação aprofundada”.

A privatização da Valorsul levará à imposição, no imediato, de um agravamento da tarifa, relativamente à que seria devida se a empresa se mantivesse pública, o que terá consequente impacto e reflexo na fatura que todos os munícipes pagam pelo tratamento de resíduos. Os municípios têm também fortes preocupações em relação ao futuro desempenho ambiental e social desta empresa.

Por estas razões, os municípios estão contra este processo, exigem que o governo pare de imediato com esta privatização e, caso pretenda manter a alienação da sua posição na empresa, então que permita aos municípios deter a maioria do capital da VALORSUL.

São subscritores desta posição os municípios de Alenquer, Amadora, Arruda dos Vinhos, Azambuja, Cadaval, Lisboa, Loures, Lourinhã, Nazaré, Odivelas, Peniche, Sobral de Monte Agraço, Torres Vedras e Vila Franca de Xira.

 

Correio de Azambuja

Câmara Municipal de Azambuja

2015

Rancho Infantil anima festas de Azambuja

O Rancho Folclórico “Tradicionais Rapazes da Grade e Raparigas da Monda” de Azambuja vai realizar o seu 21º festival de folclore infantil, na tarde do próximo domingo, dia 21 de Setembro, no Largo do Município. Trata-se da secção mais jovem do Rancho Folclórico Ceifeiras e Campinos de Azambuja, e o evento está integrado nas Festas da Freguesia sede de concelho, que se iniciam já amanhã, Sexta-Feira. O encontro começa pelas 14h30, com uma sessão solene no Salão Nobre da Junta de Freguesia de Azambuja. Uma hora depois sairá o desfile até ao Largo do Município. Às 16h00, terá início o festival, com as actuações dos grupos que participantes: o Grupo Folclórico “Os Pescadores de Tancos”, o Rancho Folclórico Infantil/Juvenil “Os Camponeses” da Raposa, o Rancho Folclórico da Casa do Povo de Aveiras de Cima e, por fim, o organizador Rancho Folclórico “Os Tradicionais Rapazes da Grade e Raparigas da Monda”. Este evento conta com o apoio da Câmara Municipal e da Junta de Freguesia de Azambuja.

Câmara Municipal de Azambuja

Rúben Mateus

2014

Azambuja participa na Rainha das Vindimas

O Município de Azambuja vai participar, pela primeira vez, na eleição da Rainha das Vindimas de Portugal que este ano terá lugar em Barcelos, no dia 20 de Setembro. A candidata azambujense tem 18 anos e chama-se Victorya Kasner. Foi eleita na Festa das Vindimas 2013, em Aveiras de Cima onde reside, freguesia vitivinícola por excelência e localidade onde a Câmara Municipal de Azambuja implementou o projeto “Vila Museu do Vinho”.  Estuda na área da restauração e reconhece que o vinho tem um papel muito importante nesse campo. A jovem Victorya, além do acompanhamento da Câmara Municipal em todo o processo, tem o apoio da Junta de Freguesia de Aveiras de Cima, de Sandra Gomes Cabeleireiro, de L3C-Sapataria e do Ateliê de Moda Madalena Toscany.

 

Câmara Municipal de Azambuja
Rúben Mateus

2014

Município de Azambuja reúne-se

A próxima reunião ordinária do Executivo Municipal de Azambuja terá lugar dia de hoje, 09 de Setembro de 2014, terça-feira, no Salão Nobre dos Paços do Concelho, pelas 15h00 (quinze horas). Além do período de intervenção dos vereadores, o regimento prevê dois tempos para a intervenção do público, 30 minutos antes da ordem do dia mais 30 minutos no final só para os munícipes que não puderam estar presentes no início.

Da Ordem de Trabalhos fazem parte a discussão e votação dos seguintes pontos:

 

Ponto 1 – Realização de estágio na área do Turismo

 

Ponto 2 – Ratificação de Despachos

 

Ponto 3 – Cedência de viaturas à Junta de F. Azambuja: festa N. Sra. Assunção

 

Ponto 4 – Programa Atividade Física para Todos – Funcionamento

 

Ponto 5 – Informações

 

Câmara Municipal de Azambuja – 2014

Sugal investe em Azambuja

A Sugal confirmou um investimento de doze milhões de euros nas fábricas em território nacional ( Benavente e Azambuja). A maior produtora de concentrado de tomate,em Portugal, continua assim a expandir-se, com o objectivo de passar de uma produção de 230 mil para 300 mil toneladas de concentrado de tomate já este ano. Serão contratadas ainda quarenta pessoas para a campanha de tomate, que já está a decorrer, sendo o restante capital investido em nova tecnologia, para novos produtos. Contudo, o mercado internacional é já a maior quota de mercado desta empresa, que irá investir doze milhões de euros, nas fábricas do Chile e Espanha, para produzir mais, de forma a corresponder a todos os pedidos de encomenda.
Rúben Mateus – 2014

Falso: A Água de Azambuja não é a Quinta mais cara da zona de Lisboa, nem do País!

O Correio de Azambuja teve acesso a dados oficiais que contrariam uma falsa notícia de que Azambuja estaria entre os dez municípios com a água mais cara do país e consequentemente da região da Grande Lisboa. Em Portugal, por exemplo, Loulé, Espinho, Aveiro, Paços de Ferreira, Covilhã e Torres Vedras ocupam o topo das mais caras. Na região de Lisboa e ao contrário do que chegou a ser propaganda, principalmente nos últimos dois anos, Azambuja fica atrás de Torres Vedras, Alenquer, Loures, Odivelas, Mafra e Arruda dos Vinhos. Como curiosidade, Vila Franca de Xira tem o preço mais barato da região da Grande Lisboa, porque Maria da Luz Rosinha (PS) negociou directamente o preço com a EPAL, e manteve os serviços na esfera da câmara enquanto que ao lado,  Joaquim Ramos (PS) decidiu entregar a concessão aos privados, mesmo contrariando as  opiniões quer de alguns elementos do seu partido, quer da CDU. Amanhã, Terça-Feira, dia 22 de Julho, às 19 horas, haverá Assembleia Municipal especial sobre o tema, com a presença dos quadros técnicos da empresa “Águas de Azambuja”.

Correio de Azambuja – 2014