Dia Aberto no Castro de Vila Nova de São Pedro

18 julho 2017

Castro - Vila Nova de São Pedro
Castro – Vila Nova de São Pedro

No próximo dia 19 de julho irá decorrer no Castro de Vila Nova de São Pedro o “Dia Aberto” a toda a população e comunidade, onde será possível realizar visitas guiadas e ateliers de arqueologia experimental, entre as 08h00 e as 19h00. Neste dia, cerca de 120 crianças inscritas na actividade “Férias Desportivas” irão visitar o “Castro de Vila Nova de S. Pedro”.
“Vila Nova de São Pedro, de novo – no 3º milénio” – VNSP 3000 – é um projecto com diversas valências e campos de acção cujo principal objectivo é realizar a valorização científica, patrimonial e social do povoado fortificado. Este projecto é da responsabilidade de uma equipa de arqueólogos da Associação dos Arqueólogos Portugueses (AAP), UNIARQ – Centro de Arqueologia, Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa (FL-UL) e da Fundação para Ciência e Tecnologia (FCT), tendo o apoio da Câmara Municipal da Azambuja e da União das Freguesias de Manique do Intendente, Vila Nova de São Pedro e Maçussa. Nos trabalhos participam alunos da licenciatura e mestrado da FLUL. Com a iniciativa do “Dia Aberto” pretende-se divulgar o trabalho desta equipa, bem como potenciar a aproximação de todos ao importante património que é o povoado Calcolítico de Vila Nova de São Pedro.
Os trabalhos arqueológicos no “Castro de Vila Nova de S. Pedro” tiveram início no dia 03 de julho e decorrerão atá ao próximo dia 21 de julho.
TH 2017

Porque muda a hora?

Quem teve a ideia? Um dos homens mais importantes da história dos Estados Unidos: Benjamin Franklin. O norte-americano escreveu um artigo — “Economical Project for Diminishing the Cost of Light” — para o Journal de Paris, em 1784, no qual dissertou sobre a importância de mudar a hora com vista a poupanças. Mas a ideia só andou para a frente graças a um londrino — William Willett –, que, no entanto, não conseguiu convencer os governantes do país com o panfleto “The Waste of Daylight”, em 1907. O jovem Winston Churchill apoiou a teoria, mas ela não chegou ser aprovada.
Finamente em 1917, a medida avançou.wall_clocks

Aterro da Queijeira em funcionamento

O aterro da Queijeira em Azambuja, entra em funcionamento a partir desta semana.
A cerimónia foi acompanhada pelo secretário de estado do Ambiente Carlos Martins, que se deslocou a Azambuja, na passada 6ª feira, dia 17 de fevereiro.
O governante, expressou o agrado por esta instalação vir agora complementar as outras já em funcionamento no país e que “após 20 anos de aprendizagem, tornam Portugal com um país onde neste momento existem países que aqui vêm aprender com a nossa experiência. Está a chegar o tempo das matérias primas escassas e como tal é preciso que as unidades de reaproveitamento e reciclagem voltem a colocar matéria que seja reaproveitável para outros produtos ou indústrias”, disse.
Na cerimónia estiveram ainda presentes o presidente da câmara de _Azambuja, Luís de Sousa e a presidente da junta de freguesia, Inês Louro.
Aterro Residuos não perigosos